Reestruturação urbana e social da fronteira: Mapeamentos e debates.

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2018-11-30

Autores

Garciía Galindo, Karen Julieth
Silva, Paulo Roberto Costa
Angileli, Cecilia Maria de Morais Machado
Zandonade, Patricia

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Proex/Unila

Resumo

A Escola Popular de Planejamento da Cidade é uma metodologia de construção de conhecimento colaborativo que associa a pesquisa-ação e a educação popular tem como objetivo interferir na produção desigual das cidades. Tem como antecedentes estudos colaborativos em mais de 300 favelas brasileiras, e projeto de pesquisa em rede sobre as remoções forçadas, denominado Observatório de Remoções. Na Fronteira Trinacional, este projeto baseia-se na partilha ativa de experiências solidárias e emancipatórias, com estudantes universitários de toda a América Latina e do Caribe, populações vulneráveis as remoções forçadas e a processos de injustiça ambiental, movimentos sociais e instituições de direito. Com essa rede colaborativa, são pensadas soluções que reduzam os conflitos humanos e urbanos identificados. O principal resultado nos últimos dois anos de trabalho, são mais de 60 ações de baixo custo, envolvendo 250 voluntários em processos de formação emancipatórios, cinco comunidades vulneráveis e mais de 5 mil pessoas que conquistaram o direito de permanecer em suas casas.

Descrição

Palavras-chave

direito à moradia, Educação popular, remoções forçadas, SEUNI, SIEPE, Extensão

Citação