História das Arboviroses Urbanas Transmitidas por Aedes Aegypti Linnaeus no Paraná Baseado nos Registros Encontradosnos Boletins Epidemiológicos da SESA Paraná

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023

Autores

Dorcimil, Keryny

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Resumo

O Aedes aegypti é um vetor responsável pela transmissão de febre amarela, dengue, chikungunya e zika. Essas arboviroses são doenças de notificação obrigatória, por esse motivo a Secretaria de Estado da Saúde - Paraná (SESA-PR) implementa ações de enfrentamento de epidemias zoonóticas, monitora os municípios paranaenses, realiza registros e disponibiliza esses dados em forma de boletim epidemiológico. Diante do exposto, é necessário sintetizar dados que já existem de forma dispersa nos boletins epidemiológicos da SESA-PR considerando a importância da história do mosquito A. aegypti no Brasil e por ser uma preocupação do sistema público de saúde. O presente trabalho apresentou o contexto histórico das doenças associadas ao mosquito A. aegypti e analisou os aspectos epidemiológicos dessas arboviroses no Estado do Paraná durante 2007 a 2022, período em que os boletins epidemiológicos da SESA-PR passaram a ter registros eletrônicos. Foi realizado uma busca bibliográfica principalmente nos sites da SESA-PR, em livros, revistas e artigos científicos nos bancos de dados Scientific Eletronic Library - Scielo e Google Acadêmico, em uma linha de pesquisa sobre arboviroses e epidemiologia associadas ao A. aegypti no Brasil e no Estado Paraná. A obtenção dos dados ocorreu por uma análise dos boletins epidemiológicos da SESA-PR através dos sites da vigilância epidemiológica. Os boletins foram organizados em um resumo descritivo dos dados, sintetizados em tabela sintética e representados em tabelas e gráficos de forma detalhada. De forma geral, os boletins da vigilância epidemiológica da SESA-PR são rigorosamente detalhados e a partir deles foi possível acompanhar os eventos históricos das doenças associadas ao A. aegypti; que o Estado do Paraná apresenta ondas cíclicas de dengue e que a zika e chikungunya foram uma preocupação no início e precisava ter vigilância epidemiológica mas aparentemente encontram-se em uma situação controlada. Por outro lado, os picos de dengue no Estado representam uma preocupação no sistema da saúde pública. Destacando, apesar de que a febre amarela humana, zika e chikungunya se mantiveram controlados apesar de não existir nenhuma situação preocupante, mas percebemos que os casos alóctones estão substituindo pelos casos autóctones.

Descrição

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Instituto Latino-Americano de Ciências da Vida e Natureza da Universidade Federal da Integração Latino-Americana, como requisito parcial à obtenção do título de Bacharel em Ciências Biológicas – Ecologia e Biodiversidade.

Palavras-chave

Aedes aegypti; arbovírus; dengue; zika; chikungunya

Citação