Língua, identidade e memória em Movimento: Uma proposta didática para o ensino de espanhol em uma escola de assentamento/acampamento

Imagem de Miniatura

Data

2016-08

Autores

Fonseca, Natália Araújo da

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

UNILA

Resumo

O ensino e aprendizagem de uma língua estrangeira/adicional (LEA) não é uma realidade presente apenas no contexto urbano. O campo também oportuniza aos alunos o contato outras línguas e culturas; no entanto, tal contexto apresenta algumas particularidades, as quais precisam ser levadas em consideração, para que o aprendizado seja significativo aos estudantes e estes encontrem sentido ao que lhes está sendo ensinado. Deste modo, por meio deste trabalho objetivamos explicitar quais são as características que particularizam as escolas de assentamento/acampamento, sugerir atividades que possibilitem o desenvolvimento da expressão escrita em língua espanhola e incitem os alunos a reflexão, sensibilização a conscientização para as temáticas discutidas e fazer com que os alunos assentados/acampados (res)signifiquem e (re)valorizem sua identidade e possam (re)conhecerse como sujeitos latinoamericanos, Sem Terra. Nesse sentido, apoiamonos Caldart (2003) para explicitar alguns princípios que norteiam a educação nas escolas do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e fundamentamonos em Pollak (1999) e Halbwachs para tratar sobre memória coletiva e identidade. Ademais, debruçamonos em Ferreira (2012) para evidenciar a importância do uso das múltiplas linguagens no contexto de ensino e aprendizagem e baseamonos em Nascimento (2010) para explicar o que é fanzine, as contribuições deste gênero no âmbito escolar e os motivos que nos levaram a trabalhar com esse recurso na escola de assentamento

Descrição

IX Congresso Brasileiro de Hispanistas realizado nos dias 22 a 25 agosto 2016

Palavras-chave

Língua estrangeira, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Espanhol

Citação