Entrevista Familiar como Ferramenta de Cuidado em Saúde Mental no Consultório na Rua em Foz do Iguaçu, Paraná: Relato de Caso

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023

Autores

Curi, Karolina Maribel Vivanco

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Resumo

O Consultório na Rua busca aumentar o grau de equidade e acesso a ações e serviços de saúde para a população em situação de rua. Os transtornos mentais estão entre os principais problemas de saúde nessa população. No âmbito do cuidado em saúde mental, destaca-se a importância do núcleo familiar como rede de apoio no cuidado do paciente. A abordagem familiar é um dos atributos da Atenção Primária à Saúde a qual dispõe de diversas ferramentas para execução, assim, a entrevista familiar é uma destas a qual traz como finalidade possibilitar a compreensão das condições de saúde e adoecimento do paciente considerando as relações familiares. Objetivo: Descrever a utilização da entrevista familiar como ferramenta de cuidado em saúde mental realizado pelo serviço de referência à população em situação de rua do município de Foz do Iguaçu. Metodologia: Trata-se de um estudo observacional-descritivo do tipo relato de caso utilizando-se como referencial teórico-metodológico a entrevista familiar. A intervenção foi realizada durante uma visita domiciliar realizada pela equipe do consultório na rua na família do paciente de 25 anos, sexo masculino, em situação de rua, portador de esquizofrenia e transtorno por abuso de substâncias. O instrumento aplicado foi a entrevista familiar a qual desenvolveu-se em cinco etapas: apresentação social; aproximação; entendimento da situação; discussão e estabelecimento de um plano terapêutico. Resultados: A utilização da entrevista familiar mostrou-se eficaz pois permitiu a compreensão das relações no núcleo familiar, a inserção do paciente no contexto familiar e o estreitamento de vínculos entre profissionais, paciente e família. Também possibilitou para a família a compreensão da psicodinâmica no cuidado e tratamento do paciente com esquizofrenia e transtorno por abuso de substâncias. Conclusão: Evidencia-se que a abordagem familiar proporcionou equidade e cuidado integral do paciente, assim como permitiu a redução do sofrimento do paciente e seu núcleo familiar.

Descrição

Palavras-chave

Atenção Primária à Saúde; Consultório na rua; População em Situação de Rua; Relações familiares; Saúde Mental.

Citação

Coleções