Restrição Física em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs): a Perspectiva da Psicologia da Saúde a partir de uma Revisão de Literatura

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023

Autores

Picanço, Ana Paula Alves

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Resumo

A Restrição Física da Mobilidade (RFMob) é uma prática comum em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para garantir a segurança dos pacientes, mas seu uso gera controvérsias. Este estudo revisou a literatura científica sobre os eventos adversos (EA) decorrentes do uso da restrição física em UTIs, descrevendo os danos físicos e/ou psicológicos para o paciente e problematizou o uso desse recurso pelas equipes de saúde. A pesquisa ocorreu na base de dados BVS (Biblioteca Virtual em Saúde), utilizando os descritores restrição física, paciente e enfermagem. Foram selecionados 4 (quatro) resultados para análise, sendo criadas duas categorias: 1) eventos adversos causados pelo uso de dispositivos de restrição e 2) justificativas para o uso da restrição na assistência ao paciente. Os resultados foram analisados e discutidos em comparação com a literatura e submetidos a uma reflexão crítica, através do olhar da psicologia, sobre o reducionismo do cuidado prestado no modelo hospitalocêntrico. Concluiu-se que a RFMob pode agravar o quadro clínico do paciente e produzir sofrimento. Destaca-se a necessidade de repensar os critérios de uso da RFMob, buscar alternativas de cuidado livres de restrições e reconsiderar a concepção de cuidados de enfermagem além do foco exclusivo na segurança do paciente.

Descrição

Palavras-chave

restrição física; paciente; cuidados de enfermagem; unidades de terapia intensiva (UTIs); eventos adversos

Citação