É Sempre Rhara a Rhima: Um Ensaio sobre a Poética do Hip-hop

Imagem de Miniatura

Data

2022

Autores

Moraes, Diogo Tabanez Dias de

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Resumo

Este trabalho de caráter ensaístico procura identificar e qualificar o rap enquanto forma de arte singular, dotada de características únicas, e ao mesmo tempo engendrada e perpassada por diversas outras tradições. Para isso, valho-me de duas referências teóricas principais: a da poesia enquanto qualidade meta-formal presente na arte como um todo, encontrada n’O Arco e a Lira, de Octavio Paz, e a da arte como a mutável e essencial atividade humana de construção de variadas verdades, encontrada n’A Necessidade da Arte, de Ernst Fischer. Como exemplo tanto de suas mudanças quanto de suas constantes, debruço-me sobre exemplos específicos dentro do nicho do coletivo Rhima Rhara, criado no começo dos anos 2000, momento de significativa virada nas formas de se fazer rap no Brasil.

Descrição

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Instituto Latino-Americano de Arte, Cultura e História da Universidade Federal da Integração Latino-Americana, como requisito parcial à obtenção do título de Bacharel em Letras – Artes e Mediação Cultural.

Palavras-chave

hip-hop, poesia, linguagem, narrativa, significação

Citação