“Las Estaduas de Sal”: la sombra de lo que fuimos como recurso de memória da experiência ditatorial chilena

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2017-11-24

Autores

Silva, Fabiana Santos da

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Resumo

No Chile, as memórias dos anos passados sob o jugo da ditadura cívico-militar continuam presentes no campo das narrativas literárias, articulando memória e ficção como uma espécie de trabalho de luto referente a essa traumática experiência. A partir desta premissa, o objetivo geral do trabalho foi analisar como Luis Sepúlveda se utiliza da narrativa literária, expressa em seu romance La sombra de lo que fuimos, para atuar no processo de elaboração da memória acerca da ditadura cívico-militar que vigorou no Chile no período de 1973-1990. O problema da pesquisa foi responder de que forma essa obra se coloca no processo de recordação acerca da repressão do terror estatal que vigorou no Chile nesse período e seus impactos. Parte-se da hipótese de que La sombra de lo que fuimos pode ser percebido como um recurso auxiliador de elaboração da memória, pois, ao transformar artisticamente as recordações individuais e coletivas em objeto literário, permite-se enfatizar as sensibilidades e os aspectos traumáticos relacionados à última ditadura cívico-militar chilena, abordando as pequenas histórias atravessadas pela experiência ditatorial. Os resultados mostram que o escritor explora os aspectos mnemônicos da emoção ao fazer uso do estilo literário. As recordações, ressentimentos e testemunhos presentes na obra em estudo funcionam como um importante exercício de memória.
In Chile, the memories of the civic-military dictatorship remain present in the field of literary narratives, by the articulation of memory and fiction as a kind of mourning work about this traumatic experience. Taking this into account, the general objective of this work is to analyze how Luis Sepúlveda uses the literary narrative, expressed in La sombra de lo que fuimos, to act in the process of constructing the memory about the civic-military dictatorship that existed in Chile in the period of 1973-1990. The problem of this research is to respond in what way La sombra de lo que fuimos is placed in the process of recollection about the terror of the state repression that was in force in Chile in this period. It is based on the hypothesis that La sombra de lo que fuimos can be perceived as a resource that facilitates the elaboration of memory, because, by artistically transforming individual and collective memories into a literary object, it is possible to emphasize the sensitivities and the traumatic aspects related to the last Chilean military-military dictatorship, addressing the small histories crossed by the dictatorial experience. The results show that the writer explores the mnemonic aspects of emotion by making use of the literary style. The memories, resentments and testimonies present in this novel works as an important exercise of memory

Descrição

Trabalho de conclusão de curso apresentado ao Instituto Latino-Americano de Arte, Cultura e História da Universidade Federal da Integração Latino-Americana, como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel e m História – América Latina. Orientadora: Prof.a Dr.a Mirian Santos Ribeiro de Oliveira.

Palavras-chave

Ditadura, Memória, Literatura

Citação

SILVA, Fabiana Santos da. “Las estatuas de sal”: La sombra de lo que fuimos como recurso de memória da experiência ditatorial chilena. 2017. 85 páginas. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História – América Latina) – Universidade Federal da Integração Latino-Americana, Foz do Iguaçu, 2017