Show simple item record

dc.contributor.advisorLeroy, Henrique Rodrigues
dc.contributor.authorPereira, Fernanda
dc.date.accessioned2019-08-12T20:55:13Z
dc.date.available2019-08-12T20:55:13Z
dc.date.issued2019-08-12
dc.identifier.citationPEREIRA, Fernanda. Inglês Internacional e (R)existência: um percurso rumo ao conceito de translinguagem. 2019. 30 f. Monografia de Especialização (Ensino-Aprendizagem de Línguas Adicionais) – Universidade Federal da Integração Latino-Americana, Foz do Iguaçu, 2019
dc.identifier.urihttp://dspace.unila.edu.br/123456789/5123
dc.descriptionTrabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Instituto Latino-Americano de Arte, Cultura e História da Universidade Federal da Integração Latino- Americana, como requisito parcial à obtenção do título de Especialista em Ensino-Aprendizagem de Línguas Adicionais. Orientador: Prof. Doutor Henrique Rodrigues Leroy
dc.description.abstractEste trabalho busca refletir, a partir do relato de minha experiência como estudante, falante, e professora de Língua Inglesa, como a variedade internacional desta língua, conhecida como Inglês Internacional/Mundial ou Global, materializa formas de resistência contra o discurso hegemônico linguístico, que emege a partir do surgimento dos Estados Nação (séculos XV, XVI) e que segue produzindo efeitos, resultando em práticas opressoras de ensino-aprendizagem de línguas. Tomaremos como base teórica os textos de Rajagopalan (1999, 2011) para compreender como esta língua híbrida desconstrói mitos fundadores de uma concepção de língua transparente, unificada e estável. E em seguida, utilizaremos como base os textos de Leroy (2018) e Garcia & Leiva (2014) para pensarmos a resistência por meio do conceito de translinguagem e sua prática libertadora. Assim, traçaremos um percurso no qual o Inglês Internacional pode ser compreendido como translinguagem, quebrando o mito de hierarquia entre línguas, transformando a realidade dos falantes, libertando-os de discursos e práticas linguísticas opressoras, agindo como um mecanismo de justiça social.pt_BR
dc.description.abstractThis work aims to reflect, based on my experience as a student, speaker and teacher of English Language, how the international variety of this language, known as International/World or Global English, materializes forms of resistance against the linguistic hegemonic discourse that appears with the emergence of the Nation States (around 15th, 16th centuries) and continues to produce effects, resulting in oppressive practices of language teaching and learning. We will take as a theoretical basis the texts of Rajagopalan (1999, 2011) to understand how this hybrid language deconstructs founding myths of a conception of a transparent, unified and stable language. And then we will use the texts of Leroy (2018) and Garcia & Leiva (2014) as a basis to think about resistance through the concept of translanguaging and its liberating practices. Thus, we will trace a path in which International English can be understood as translingual, breaking the myth of hierarchy between languages, transforming the reality of speakers, freeing them from discourses and oppressive linguistic practices, acting as a mechanism of social justice
dc.description.abstractEste trabajo busca reflexionar, a partir del relato de mi experiencia como estudiante, hablante, y profesora de Lengua Inglesa, como la variedad internacional de esta lengua, conocida como Inglés Internacional/ Mundial o Global, materializa formas de resistencia contra el discurso hegemónico linguístico, que se empieza a partir del surgimiento de los Estados Nación (siglos XV, XVI) y que sigue produciendo efectos, resultando en prácticas opresoras de enseñanza-aprendizaje de lenguas. Tomaremos como base teórica los textos de Rajagopalan (1999, 2011) para comprender cómo esta lengua híbrida desconstruye mitos fundadores de una concepción de lengua transparente, unificada y estable. Y a continuación, utilizaremos como base los textos de Leroy (2018) y García & Leiva (2014) para pensar la resistencia por medio del concepto de translenguaje y su práctica liberadora. Así, trazaremos un recorrido en el que el Inglés Internacional puede ser comprendido como translenguaje, rompiendo el mito de jerarquía entre lenguas, transformando la realidad de los hablantes, liberándolos de discursos y prácticas linguísticas opresoras, actuando como un mecanismo de justicia social
dc.language.isoporpt_BR
dc.rightsopenAccess
dc.subjectLíngua Inglesa (Inglês Internacional)pt_BR
dc.subjectTranslinguagem - conceito
dc.subjectLinguísticas opressoras (reistência)
dc.titleInglês Internacional e (R)existência: um percurso rumo ao conceito de translinguagempt_BR
dc.typebachelorThesispt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record