Show simple item record

dc.contributor.advisorSilva Júnior, Roberto França da
dc.contributor.authorRodrigues, Luiz Felipe
dc.date.accessioned2016-12-27T13:41:59Z
dc.date.available2016-12-27T13:41:59Z
dc.date.issued2016-12-27
dc.identifier.citationRODRIGUES, Luiz Felipe. “Olha o alho!” A cidade de fronteira nos passos do sujeito. 2016. p.137. Trabalho de Conclusão de Curso - Graduação em Geografia - Bacharelado – Universidade Federal da Integração Latino-Americana, Foz do Iguaçu, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttp://dspace.unila.edu.br/123456789/685
dc.descriptionTrabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Instituto Latino-Americano de Tecnologia, Infraestrutura e Território da Universidade Federal da Integração Latino-Americana, como requisito parcial à obtenção do título de Bacharel em Geografia. Orientador: Prof. Dr. Roberto França da Silva Junior.pt_BR
dc.description.abstractO presente estudo tem por objetivo discutir o processo histórico de urbanização paraguaia, buscando entender o porquê de seus maiores complexos urbanos estarem localizados nas faixas limítrofes do país com Brasil e Argentina. Para isso, essa pesquisa limita-se a uma análise mais detalhada da rede urbana configurada por Ciudad del Este, segunda maior cidade do Paraguai. Essa rede urbana compõe um aglomerado transfronteiriço com as cidades de Foz do Iguaçu no Brasil e Puerto Iguazú na Argentina, o que lhe dá uma característica singular. Além de investigar aspectos relevantes do processo de (re)produção dessa rede urbana, opta-se discutir mais detalhadamente a sua (re)produção considerando as práticas sociais no espaço, onde os sujeitos criam estratégias de sobrevivência, borrando alguns dos limites imaginários da fronteira, e a utilizando como possibilidade. Nesse cenário, como estudo de caso, utiliza-se a análise dos usos do território e das interações socioespaciais desencadeadas pelas trajetórias dos vendedores ambulantes de alho paraguaios que realizam suas atividades na cidade brasileira de Foz do Iguaçu em condições informais perante o Estado. Disso, se desprende uma série de conflitos, relações e solidariedades socioespaciais, conferindo uma (re)produção social do espaço das cidades. Os sujeitos entendidos como habitantes e como extensão do espaço, nos revelam escalas e dimensões geográficas da (re)produção das cidades a partir de suas trajetórias cotidianas, e por isso, a realização deste estudo entende que para entender a cidade e os fenômenos do espaço geográfico, é fundamental lançarmos o olhar para os sujeitos e seus cotidianos, considerando que a pesquisa deve ser relacional.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopenAccess
dc.subjectUrbanizaçãopt_BR
dc.subjectParaguaipt_BR
dc.subjectFronteirapt_BR
dc.title"Olha o alho!" A cidade de fronteira nos passos do sujeitopt_BR
dc.typebachelorThesispt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record